30 de julho de 2011

,

Loco volta em grande estilo e Botafogo vence o Cruzeiro


Gol do Loco Abreu - Cruzeiro x Botafogo (Foto: Gil Leonardi)
No reencontro de Joel Santana com o time que dirigiu por 14 meses até março deste ano, o Botafogo venceu o Cruzeiro, seu atual time, por 1 a 0, na noite deste sábado, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, com gol marcado por Loco Abreu, com quem o treinador se desentendeu no clube carioca. Com o segundo triunfo seguido, o time botafoguense chegou a 22 pontos, aproximando-se do G4.

A noite começou com festa para os cruzeirenses, que comemoraram os 35 anos do primeiro título da Libertadores conquistado pelo clube, em 30 de julho de 1976, contra o River Plate. Ainda antes de rolar a bola, Loco Abreu foi até Joel Santana e os dois, que chegaram a se desentender, em janeiro deste ano, trocaram um afetuoso abraço.
Joel Santana surpreendeu ao deixar Roger no banco e começar o jogo com o volante Roger. No intervalo, ele colocou o meia em campo, tirando Gilberto e deslocando Everton para a lateral esquerda. No Botafogo, Caio Júnior comemorava a volta do ataque titular formado por Loco Abreu e Herrera e também do lateral Cortês. “Falei na palestra que é um recomeço para nós, os 12 jogos ficaram para trás. Agora que tenho o grupo completo é que o Campeonato começa para nós”, salientou.
O primeiro tempo foi marcado pelo equilíbrio e por alternâncias dos times no controle da partida. O Botafogo começou melhor, adotando uma postura mais ofensiva, nos 18 minutos iniciais. O time visitante tentava explorar a velocidade de Herrera, pela direita de seu ataque, buscando sempre o companheiro Loco Abreu na área cruzeirense.
Aos poucos, no entanto, o Cruzeiro adiantou sua marcação e obrigou o Botafogo a recuar, passando a criar mais oportunidades. A exemplo do adversário, a equipe celeste também insistia pela direita do seu ataque. A pontaria celeste não ajudava. Em 10 finalizações na etapa inicial, somente duas tiveram a direção do gol. Na melhor delas, aos 19 min, Montillo obrigou Jefferson a fazer boa defesa.
A partir dos 30 minutos, o Botafogo encaixou alguns contra-ataques, dessa vez, pelo lado esquerdo. Aos 34 min, Elkeson avançou por aquele lado, livro-se do marcador e bateu forte. Fábio defendeu, mas deu rebote, não aproveitado por Maicosuel. Ele chutou forte, mas para fora. Apesar dos dois times terem criado suas chances, os 45 minutos iniciais terminaram sem gol e caracterizados pela forte marcação e muitos erros de passes.
O atacante Wallyson não gostou da atuação celeste no primeiro tempo. Segundo ele, o Cruzeiro precisa adiantar a marcação para pressionar a defesa botafoguense. “Estamos jogando em casa e precisamos do resultado. Não podemos esperar a equipe do Botafogo atrás, aí fica complicado fazer gol”, criticou. Já o lateral-direito Alessandro, do time visitante, considera que na marcação o Botafogo foi bem, mas pecou no trabalho com a bola. “Tentamos muito a ligação direta com o Loco, precisamos tocar mais a bola”, comentou.
Com Roger em campo, o Cruzeiro voltou mais ofensivo, tomando a iniciativa do ataque, enquanto o Botafogo utilizava a tática do contragolpe. E Loco Abreu marcou o gol, aos 11 min, quando arriscou um chute de fora da área, vencendo Fábio. Atrás no marcador, o Cruzeiro pressionou o restante do tempo e o time carioca se defendeu, buscando os contra-ataques. Não conseguiu ampliar, mas garantiu o triunfo e os três pontos, bastante comemorados por Caio Júnior.
FONTE: Uol

Chrome Pointer