7 de abril de 2011

Com Neymar e Zé Love expulsos, Santos vence Colo Colo e respira na Libertadores



O Santos precisava de uma vitória para manter suas esperanças de avançar às oitavas de final da Libertadores. Foi no sufoco, com dois expulsos e levando pressão no fim, mas o time conseguiu: venceu o Colo Colo por 3 a 2 e conseguiu respirar na competição.


Tudo sob os olhares atentos de Muricy Ramalho, o novo treinador, que estava nas tribunas da Vila Belmiro e parece ter gostado do que viu.

A torcida santista preparou uma grande festa, com 15 mil máscaras de Neymar criando “clones” do atacante nas arquibancadas. No fim, uma máscara acabou causando a expulsão do jogador, na comemoração do terceiro gol.

Antes, o Santos já havia feito 2 a 0 com gols de Elano – em cobrança de falta – e Danilo, ainda no primeiro tempo.


O jogo
Motivado pela responsabilidade da partida e sob os olhares do novo técnico, Muricy Ramalho, que assistiu ao jogo das tribunas da Vila, o Santos começou pressionando o Colo Colo. Aos dois minutos, Danilo aproveitou boa trama do ataque, envolvendo Neymar, Paulo Henrique e Elano para finalizar, porém, pegou mal na bola, desperdiçando a primeira oportunidade de gols dos santistas.

Com o domínio das ações, o Santos quase abriu o placar em uma cobrança de falta, aos 11. Em jogada ensaiada, Ganso ameaçou fazer a cobrança, mas deixou a batida para Elano. A bola bateu na rede pelo lado de fora, assustando o goleiro uruguaio Castillo. Apesar de verem o Alvinegro Praiano com mais posse de bola e controlando o duelo, os chilenos responderam à altura. Aos 13, Fuenzalida acertou um belo lançamento para Salcedo emendar um chute para o gol e mandou a bola um pouco acima da meta defendida por Rafael.

Depois de o Santos assustar Castillo em uma cabeçada de Zé Eduardo, que saiu rente à trave esquerda do arqueiro, o Colo Colo voltou a criar uma boa chance de gol. Aos 25, o meia Jorquera bateu uma falta lateral direto para o gol e quase surpreendeu Rafael. O goleiro santista calculou mal o arremate e só não sofreu o gol porque a bola explodiu no travessão.

O lance de perigo dos chilenos não abalou a confiança dos santistas que, em dois minutos, tiveram boas oportunidades para balançar a rede. Aos 28, Ganso cruzou para área, mas Edu Dracena e Zé Eduardo se atrapalharam na hora da conclusão da jogada. No minuto seguinte, Danilo arriscou um chute forte de fora da área, exigindo boa defesa de Castillo.

Os chilenos resistiram à pressão durante um bom tempo, porém, quando o Santos conseguiu vencer a defesa adversária, abriu boa vantagem. Aos 33, Elano, em nova cobrança de falta, desta vez não errou e mandou a bola no ângulo de Castillo. Na sequência, aos 35, Zé Eduardo aproveitou o espaço na defesa do Colo Colo para dar uma assistência na medida para Danilo driblar o goleiro uruguaio e anotar o segundo.

O time da Vila Belmiro ainda poderia ter ido para o intervalo com uma vantagem maior, porém, Castillo fez grande defesa em arremate de Zé Eduardo, aos 42, evitando o terceiro do Alvinegro Praiano.

O Santos voltou para a etapa complementar no mesmo ritmo do primeiro tempo e tratou de logo aumentar a sua vantagem no marcador. Aos seis, Neymar fez grande lance individual, driblando Cabión, Scotti e Cabrera, antes de mandar a bola por cima de Castillo: 3 a 0. Na comemoração, o jogador colocou uma máscara com o seu rosto, que havia sido distribuída por uma de suas patrocinadoras. Só que, como já tinha cartão amarelo, Neymar acabou sendo expulso.

Depois do terceiro gol santista e do cartão vermelho mostrado para Neymar, o clima esquentou e as divididas passaram a ser mais acirradas na partida. Em um delas, aos 11, Zé Eduardo, do Santos, e Scotti, do Colo Colo, se desentenderam e foram expulsos também pelo árbitro Roberto Silvera.

Tentando diminuir a vantagem construída pela equipe alvinegra, os chilenos quase descontaram, aos 14. Jorquera recebeu na entrada da área e chutou a bola no travessão - Rafael desviou a finalização, antes da bola bater na trave.
Após essa jogada, os dois técnicos começaram a mexer em seus times. O treinador do Colo Colo, Américo Gallego, que já havia colocado Cabión no lugar de Mena no intervalo, trocou Salcedo por Gazale e Fuenzalida por Rubio.

No Santos, o interino Marcelo Martelotte retirou Paulo Henrique Ganso, que já tinha recebido cartão amarelo, para a entrada de Alex Sandro. Mais para a frente, Elano também deixou o campo para a entrada do atacante Maikon Leite.

Mesmo com a vantagem considerável dos santistas, os chilenos continuaram buscando o gol e conseguiram diminuir a vantagem. Aos 36, Miralles tocou para Jérez encobrir Rafael e descontar para o Colo Colo.

Com o gol dos visitantes, o treinador do Santos, Marcelo Martelotte, resolveu fortalecer o seu sistema defensivo com a entrada do zagueiro Bruno Aguiar no lugar do lateral Pará, aos 38. No entanto, o Colo Colo seguiu buscando o improvável empate. Aos 41, Rubio recebeu bom passe, driblou Rafael e anotou o segundo dos chilenos.

E, apesar de o Santos ter conseguido segurar o resultado, a equipe ainda perdeu mais um jogador expulso. Em uma discussão entre Martelotte e Gallego, Elano jogou uma toalha nos acréscimos do confronto e foi expulso. Jorquera, do Colo Colo, também recebeu o vermelho por reclamação.

  • FICHA TÉCNICA
  • SANTOS 3 X 2 COLO COL-CHI

  • Local: Estádio Vila Belmiro, em Santos (SP)
  • Data: 6 de abril de 2011, quarta-feira
  • Horário: 21h50 (horário de Brasília)
  • Árbitro: Roberto Silvera (Uruguai)
  • Assistentes: Mauricio Espinosa e Marcelo Costa (ambos do Uruguai)
  • Público: 11.871 pagantes
  • Cartões amarelos: Neymar, Elano, Léo (Santos); Wilchez, Magallaes e Cabrera (Colo Colo)
  • Cartão vermelho: Neymar, Zé Eduardo e Elano (Santos); Scotti e Jorquera (Colo Colo)
  • Gols:
  • SANTOS: Elano, aos 33, e Danilo, aos 35 minutos do primeiro tempo; Neymar, aos seis minutos do segundo tempo
  • COLO COLO-CHI: Jérez, aos 36, e Rubio, aos 41 minutos do segundo tempo
  • SANTOS: Rafael; Pará (Bruno Aguiar), Edu Dracena, Durval e Léo; Adriano, Danilo, Elano (Maikon Leite) e Paulo Henrique Ganso (Alex Sandro); Neymar e Zé Eduardo Técnico: Marcelo Martelotte (interino)
  • COLO COLO-CHI: Castillo; Magallaes, Scotti, Cabrera e Jérez; Mena (Cabión), Salcedo (Gazale), Fuenzalida (Rubio), Jorquera e Wilchez; Miralles Técnico: Américo Gallego 

0 comentários:

Chrome Pointer